PABX: (81) 3797.2517 – FAX: (xx81) 3797.2523 / Atendimento – FAX: (xx81) 3797.2514 / Diretoria

EXPEDIENTE:

Seg. a Qui.: 08h às 17h
Sex: 08h às 14h

Foco de Peste Suína Clássica é identificado no Ceará

A Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) reportou uma ocorrência de Peste Suína Clássica (PSC), em Forquilha, no Ceará. O foco foi identificado em uma propriedade familiar de subsistência, com 130 animais. Destes, 115 foram contaminados e 112 morreram. Os outros três foram sacrificados.

A comunicação da problemática foi realizada pelo diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Guilherme Marques. Já a identificação da doença foi feita pelo Laboratório Nacional (Lanagro), em Minas Gerais.

Este é o primeiro caso de Peste Suína Clássica no Brasil desde 2009. A doença, assim como a Peste Suína Africana, tem se alastrado especialmente por países do leste europeu e da Ásia.

De acordo com a OIE, o Ceará não é parte da zona livre de Peste Suína Clássica e a ocorrência registrada está a mais de 500 quilômetros dos limites da zona livre, além disso, já estão sendo adotadas medidas de restrição de movimento de animais e produtos biológicos, para que a contaminação não chegue à zona livre, por isso, além do sacrifício dos porcos contaminados, as propriedades situadas no raio de 10 quilômetros em torno do foco estão sendo investigadas. Segundo o MAPA, não haverá impactos no comércio de suínos e derivados.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) reforçou ainda que não há riscos de disseminação da doença para a produção nacional e que não há fluxo comercial de suínos partindo do Ceará para o Sudeste, Centro-Oeste e Sul do país.

Peste Suína Clássica – Também conhecida como cólera suína, a peste é uma doença viral contagiosa que afeta somente suínos domésticos e selvagens, sem riscos à saúde humana e outras espécies animais. Ela é diferente da peste suína africana, que tem afetado a produção na Europa e Ásia. Esta última é mais agressiva e tem maior capacidade de difusão, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Zona Livre – Segundo informações do Mapa, a zona livre da peste suína clássica concentra mais de 95% de toda a indústria e 100% da exportação de suínos brasileira. Ela é formada por 16 estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Tocantins, Pará, Rondônia e Acre), além do Distrito Federal. Nesses locais, o último foco da doença foi detectado em 1998.